Bom de Cama - Jennifer Weiner.

 

A princípio, meus olhos não conseguiram atinar com o que estava escrito. Mas logo as letras se desembaralharam. "Amando uma Mulher Avantajada", dizia a manchete, "de Bruce Guberman". Bruce Guberman tinha sido meu namorado durante pouco mais de três anos, até alguns meses atrás, quando resolvemos dar um tempo. E a Mulher Avantajada eu não pude achar que fosse outra além de mim mesma.

Cannie Shapiro nunca quis ser famosa. A repórter especializada em cultura pop, inteligente, mordaz e de tamanho avantajado estava perfeitamente satisfeita em escrever sobre a vida de outras pessoas nas páginas do Philadelphia Examiner. Mas no dia em que abre uma revista feminina de circulação em âmbito nacional e descobre que seu ex-namorado anda escrevendo crônicas sobre as experiências sexuais que tiveram juntos, sua vida muda para sempre.

"Amar uma mulher avantajada é um ato de coragem em nosso mundo", escreveu Bruce. E Cannie - que nunca soube que Bruce a via como uma "mulher avantajada", ou achasse que amá-la era um ato de coragem - mergulha na tristeza e no ano mais impressionante de sua vida.

Escrito com garra e humor agridoce, repleto de tiradas espirituosas e surpresas emocionantes, este romance de estréia de Jennifer Weiner é uma delícia de ler. Vai além da história de Cannie e toca o coração de toda mulher.

Jennifer Weiner é escritora e colunista do The Philadelphia Inquirer. Mora na Filadélfia com seu cachorro, Wendell. Bom de Cama é seu primeiro romance e os direitos de tradução já foram vendidos para dez países.

Para obter maiores informações sobre a autora e sua obra visite o site www.jenniferweiner.com.

Gordas & Gostosas.

 

Este livro é dedicado a todas as mulheres que se sentem gordas, independente do peso que tenham. É, na verdade, um convite para lanchar.
São bem-vindas as que se acham imensas e as que apenas saíram um pouquinho do seu peso ideal, assim como são bem-vindos os doces, os salgadinhos, os refrigerantes, a irreverência e a descontração.
Vamos fazer uma trégua nas dietas, nas recomendações médicas, na vergonha, no sentimento de humilhação diante da saia que não fecha ou da blusa que não abotoa.
Sem restrições nem preconceitos, longe dos olhares persecutórios dos magros, vamos nos divertir, rir juntas das dobrinhas de gordura que ficam encostadas na alça do soutien e da força que fazemos para escondê-las atrás do decote.
Vamos nos livrar daquele maldito cós de calça jeans sempre menor que os centímetros da nossa cintura, e vamos rir juntas daquela hora em que, por debaixo da mesa, livramos nossos pezinhos do sapato apertado, enquanto a festa rola solta por cima
da toalha da mesa. E, mais que tudo, vamos nos absolver por não termos ainda conseguido perder nenhum dos quilos que gostaríamos de ter perdido.
É apenas uma trégua, um abraço de gorda, carinhoso e farto como os abraços que só as gordas são capazes de dar.

Eu gosto de gorda porque
Elas acreditam, pintam a boca e ajustam a saia
Mesmo quando a maioria das mulheres
Não conseguiria mais acreditar.

Gosto de ver gorda ajeitando a minissaia na frente do espelho,
Exibindo o colo no decote farto do vestido de lamê
Pendurando brincos colares e pulseiras
Se fazendo brejeira, e se fazendo mulher
Mesmo quando os homens negam até mesmo simpáticos olhares
E, principalmente, quando nem ela mesma quer mais se olhar.

Gosto de ver gorda comendo chocolate,
Se lambuzando de empada, de sorvete e de dietas
Misturando não conseguir com continuar tentando
E gosto principalmente de saber que, às vezes,
Apenas um gesto, ou até quem sabe, um olhar
Podem fazer uma gorda dormir mais cedo
E até mesmo fazê-la dormir sem jantar.

[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, PRESIDENTE PRUDENTE, JARDIM ICARAY, Mulher, de 15 a 19 anos, Música, Cinema e vídeo, Livros
MSN - taly_wood@hotmail.com

O que é isto?
Visitante número: